26 de mai de 2017

Eu

Pra tudo o que toco,
Que vejo,
Existe um punhado,
Um lampejo
Do que resta da alma
Tardiamente
É desejo,
Dos que molham os sonhos da gente.