25 de jun de 2012

Num só gole

A memória vem à tona
quando o copo a derrama,
debaixo de um beijo,
por cima da cama.

Nada do que eu diga, fale ou veja
muda os ponteiros de um fim.
Nem motel barato, outra cerveja
fico sem sono em teu abraço, pra fugir de um pesadelo ruim

E quanto mais bebo tenho a certeza
de que o que se quer da vida é um pedaço de aconchego.
Verdades não ditas ditando as regras da sorte,
Pois que venha então a morte
Sem me levar daqui.
deixando no teu peito o rasgo que outro ainda há de abrir
Porque pra viver é preciso amar, e seu treino
chama-se ferir.