31 de mar de 2011

Minha retomada

Este blog anda um pouco ruim das pernas, não é verdade? Absolutamente que sim! Passei um longo período sem um porquê que fosse, sem necessidade extrema de escrever, sem vontade verdadeira de ler, nada. Apenas a pergunta: por que você escreve?

Me dei conta de que não importa se alguém lê, o que importa é a oportunidade. Não é o fato de eu gostar de escrever, propriamente dito, mas sim o de poder servir de exemplo. Quanto mais pessoas demonstram sua liberdade de expressão, aquela do livre pensamento, mais pessoas se sentirão encorajadas a prosseguir. Eu não escrevo porque gosto de me ler, não escrevo porque me sinto acorrentado em meu dia-a-dia, não escrevo porque gosto disso mais que de viajar, escrevo para que quem quer que seja possa encontrar o seu espaço, para que entenda que pode muito mais e melhor.

Eu que pensava que não existiam mais razões para continuar escrevendo e encontrei, numa conversa casual com um estranho, o porquê de retomar a tarefa, percebo hoje uma certa beleza no que faço, mesmo que de forma bastante tímida e pouco convícta.

A vida nos mostra que tudo tem seu motivo, e que normalmente este é igualmente proporcional a sua consequência direta e imediata. A cada esquina a felicidade pode nos esperar no segundo seguinte e não o contrário disso.

Obrigado por continuar.