19 de fev de 2013

Outra vez


Acordo.
Levanto.
Ando.
Dobro.

Estanco,
Entupo,
Bato,
e tampouco.

Sei Caminhar,
Dividir,
Doar,
Pedir.

Recomeço.
Recordo.
Meço...
Tudo de novo.

4 de fev de 2013

Pra nunca mais voltar

Não sinto mais...
As mãos tremem
lágrimas visitam a face
Engasgo.
Quero sumir de vez.

Nada é tão simples...
nenhuma dor,
nem um amor feliz
carrego este fardo pesado...
São só meus passos outra vez

Não durmo,
nem rezo,
não passo mais dias em claro
diante do mundo, confesso
sou um bicho, assim, raro.

Nem pelo choro que impeço,
Nem do afago que amparo,
Nem sei ser feliz, mas te peço,
Não me esqueças, me busque aqui do outro lado.

Pelo que não me completa...
Por todos a quem desamparo,
No peito uma dor, uma seta
pra que a morte enfim me de cabo,

sem tempo pra carta
ou bilhete de fim,
dou-te adeus na lembrança,
que terei sempre, bem aqui dentro de mim...

2 de fev de 2013

Amor assim é falta


Perfura, queima
Trago mais uma vez...
Escorre das veias
E nem dói tanto assim

Os olhos se fecham,
mordo meus lábios.
A dor me visita
disfarçada de prazer

Ele bate, ele teima
Nas raias da estupidez
Transborda juras inteiras
me faz sentir por fim

Ilusões me entregam
rodeado por rostos sérios
essa ferida grita
é a falta enfim.